Imprimir Página

LP Poder Judiciário

O LP no Poder Judiciário

UTILIDADE DO LAUDO PARAPSICOMÉTRICO

NO PODER JUDICIÁRIO

O art. 5º da Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984, institui a: Lei de Execução Penal – LEP

Os condenados serão classificados segundo os seus antecedentes e personalidade, para orientar a individualização da execução penal.

 

Mensagem dirigida à Escola Superior de Guerra, apresentando o autor.

“… trata-se de uma pessoa portadora de cultura realmente notável e profunda sobre o assunto”

Dr.A. A. Marques, Poder Judiciário da Justiça Militar, Auditoria da 4ª R.M., Minas Gerais, 3/6/1967.

Laudo Criminológico

O Laudo Parapsicométrico (Método Longhi), do nome do seu autor, é um Laudo que permite ao sentenciado auferir o conhecimento da sua própria personalidade, de um modo genérico e abrangente.

O LP permite a obtenção do perfil ”parapsicológico e psicológico” do sentenciado, descobrindo suas ”virtudes” e também demonstrando suas ”falhas” e, portanto, diagnosticar o indivíduo, permitindo trabalhar tendo em vista suas potencialidades e, através desse mesmo perfil, realizar um trabalho que permita a realização de uma atividade ressocializadora de maneira eficaz e de atuação efetiva.

Demonstrando, ainda, as tendências profissionais do sentenciado, faculta que, nosistema presidiário, dentro da laboterapia que, dia a dia, cresce em importância, se possa direcionar a atividade laborativa do sentenciado para melhor desenvolvimento de sua capacidade, diagnosticada no Laudo no que se refere ao setor de sua profissão.

Temos para nós que – mesmo não sendo um Laudo elaborado especialmente para o setor criminológico – ele preenche as exigências legais no que se refere ao uso e confecção do Laudo Criminológico, é um auxiliar de grande valia para os objetivos colimados pelo referido Laudo

Valdir Sznick – Procurador de Justiça – Autor de várias obras jurídicas


Um advogado criminalista de São Paulo

O presente Laudo Parapsicométrico é positivamente uma prova material, que vem em auxílio à Instrução e Julgamento do réu, como elemento real á Justiça. Isto porque aborda o estudo da personalidade com muita segurança, para compreendermos melhor o acusado.

Como criminalista de todas as horas, e vivendo o drama do culpado ou não culpado, tenho certeza de que, no Terceiro Milênio, o LP ajudará na avaliação analítica do acusado.

Além disso, creio que o resultado deste Laudo indicará o caminho a seguir pelo recuperando, desde que orientado por técnico de Parapsicoterapia, que é o acender das luzes para a sabedoria de viver.

Miguel Zaccanini – Advogado Criminalista, com longa experiência de plenários


Associação Americana de Juristas

O Laudo Parapsicométrico, do Prof. Artemio Loghi, é uma obra de verdadeira investigação da personalidade humana. Ele enfoca a pessoa sob os mais variados ângulos, pois revela as motivações do inconsciente, em todos os aspectos.

Quando aplicados em infrators da lei penal, auxiliará a autoridade num maior entendimento dos atos criminosos. A utilização deste método nas investigações de um suspeito, será um grande subsídio à JUSTIÇA.

Paulo Oliver**Presidente da Associação Americana dos Juristas, Secção do Estado de São Paulo; Conselheiro da Associação dos Advogados Criminais do Estado de São Paulo; Diretor Depto. Jurídico – AIAP – Comitê Nacional da Unesco.


Academia Paulista de Júri

O Laudo Parapsicométrico (Método Longhi) como instrumento definidor da personalidade, poderia ser utilizado na Execução Penal como meio auxiliar na individualização da pena.

A Reforma Penal de 84 que redundou nas leis 7.209/84 e 7.210/84, preconizou a laboterapia como principal instrumento na ressocialização de delinquente.

Todavia esta laboterapia aplicada a cada um, precisa estar estribada em um exame de personalidade, como dispõe a própria lei. De eficiêcia comprovada, o Laudo Parapsicométrico tem ainda a vantagem de poder ser aplicado sem que os profissionais tenham que comparecer aos presídios, o que sem dúvida, tornaria os custos do Estado – responsável pela aplicação da pena – muito baixos.

De outro lado, o Laudo Parapsicométrico pode servir de instrumento também para que o próprio Advogado, conhecendo mais profundamente seu cliente, possa colaborar para uma melhor aplicação da justiça.

José Parada Neto – Advogado Criminal Militante; Diretor da Academia Paulista de Júri;Conselheiro do Conselho Penitenciário do Estado


 

O autor fez conferências na Associação Paulista do Ministério Público , abordando os seguintes temas:

  1. ”Laudo Parapsicométrico e as motivações inconscientes do comportamento humano à luz da Parapsicologia” (24/11/81).
  2. ”Aplicações práticas da parapsicologia” (30/05/84).

 


“Após lhe ter enviado mais de 60 pessoas, em 1994, para realizarem o LP, fiquei agradavelmente surpreso com os benefícios que as mesmas conseguiram a partir das conclusões do LP.”

 Dr. Luiz Carlos Koslosky, Criminalista

Link permanente para este artigo: http://www.professions.com.br/?page_id=1778